"Backgrounds Etc."

"Primeiras Letras em Angola"
Biografias de Mestres

Página 1 de 1

Alina Marques de Campos é um nome muito considerado entre os professores de Angola, de todos os tempos, tendo sido atribuído ao Parque Infantil de Moçâmedes, em sinal de gratidão pelo muito que esta cidade lhe ficou devendo.

Pudemos registar que, no dia 29 de Novembro de 1916, foi aberto concurso para o provimento da escola primária, do sexo feminino, da cidade de Moçâmedes. Este concurso deve ter ficado deserto, ou então concorreram apenas candidatas que não estavam em condições de serem classificadas. O que deixamos dito deduz-se do facto de, no dia 4 de Abril de 1927, voltar a ser aberto concurso para a mesma escola. A professora classificada desta vez, Alina Marques de Campos, foi nomeada, segundo certas indicações, em 21 de Dezembro desse ano, e segundo outras em 21 de Fevereiro de 1918, estando na Metrópole.

Esta senhora, que usou também o nome de Alina Marques de Campos Rodrigues dos Santos, por apropriação dos apelidos do seu marido, era natural da Frequesia de Cabanas, concelho de Carregal do Sal, distrito de Viseu, onde nascera em 13 de Novembro de 1891. Completou os seus estudos na Escola Normal de Coimbra, tendo obtido dezassete valores na classificação final.

Foi a última professora da escola feminina de Moçâmedes, em relação ao período em estudo, o que não admira, visto que se conservou no lugar até à data da sua aposentação, tendo sido desligada do serviço apenas em 23 de Fevereiro de 1957.

Apresentou-se na sua escola no dia 2 de Abril de 1918, tendo tomado posse no dia 1 de Maio seguinte. Este pormenor deve referir-se, por certo, ao início da actividade docente, à abertura das aulas. A sua nomeação foi confirmada por portaria publicada no Boletim Oficial de Angola, a 18 de Fevereiro desse ano.

Esta concorrência leva-nos a pensar que a data atrás indicada para a sua nomeação, a de 21 de Fevereiro, provém de um erro de transcrição, ao citar o diploma em referência pois não é possível ter sido nomeada posteriormente à data da publicação da respectiva portaria.

Apesar de isso se localizar já fora do período em estudo, podemos referir que, aí por 1922, lhe foi instaurado um processo disciplinar, com base em declarações suas, publicadas num jornal de Moçâmedes. Mas em 23 de Janeiro de 1923, o chefe da Repartição Superior da Instrução, José Falcão Ribeiro, informava que o processo tinha demonstrado, de parte de quem o ordenou e elaborou, autoritarismo e defeitos de organização, que implicavam a sua nulidade. E ao mesmo tempo afirmava que esta professora era cumpridora do seu dever e desamparada de todo o auxílio. Talvez essa circunstância explique que, pouco depois, em Dezembro de 1926, pensasse já sèriamente na aposentação.

Alina Marques de Campos Rodrigues dos Santos veio a falecer em Luanda, no dia 5 de Julho de 1971, contando quase oitenta anos de idade. Residia com o seu filho, o Engº Augusto Carlos Rodrigues dos Santos, director da Junta Provincial de Electrificação, de Angola. Casara e enviuvara enquanto esteve a exercer funções do magistério, em Moçâmedes, que deve ter sido a única povoação em que leccionou, pelo menos neste Estado.


Notas da autora deste site:

Alina Marques de Campos foi mestra do meu Pai, Inácio Saiago. Mais tarde, quando frequentei a Escola Primária Nº 55 ("Portugal", na época; hoje "Pioneiro Zeca"), em Moçâmedes (2ª e 3ª classes - anos 1952 e 1953), foi dela que recebi os ensinamentos básicos de costura e bordados. Afinal, quantos naturais daquela cidade, da minha geração e anteriores, não terão sido seus alunos?

[ Encontro com a Escrita ] [ Página Principal ] [ Biografia de Mestres - Principal ] [ Primeiras Letras em Angola - Principal ]