A Cidade Mãe
e a sua Província


Página 4 de 28


Pepetela Escreve Sobre Benguela

A Província de Benguela é rica em potencialidades, com um mar de peixe abundante a propiciar uma indústria piscatória importante e um clima no interior a permitir uma agricultura variada. A isto se deve acrescentar o facto de ser o segundo parque industrial do País e de ter o Porto do Lobito, cabeça do Caminho de Ferro de Benguela, via nacional e internacional para as trocas económicas. Tais são as bases principais para um desenvolvimento possível, não só da Província, mas também do centro do País.

A capital da Província, a cidade de Benguela, velha de quatro séculos, consegue guardar ainda algo do passado em que foi o principal empório do tráfico de escravos para a América, mantendo vestígios dos quintalões de altos muros onde ficavam guardados os escravos antes do embarque. Também no inconsciente colectivo da cidade ficou um orgulho produzido pelas dificuldades da própria existência e a resistência secular a todas as formas de opressão.

Mas de Benguela surgiram outras cidades, como o Lobito, a Baía Farta, o Cubal ou a Ganda, para só falar nas que ainda pertencem à Província. Por isso, Benguela ficou com a título de “cidade mãe de cidades”.

por Pepetela, in "ANGOLA 93 - Selos - Stamps - Timbres"
(capa: locomotiva CFB 01, "General Machado")
(Contribuição de Manuel João F.T. de Pimentel Teixeira.)


[ Página Principal ] [ Menu “Benguela, Cidade Mãe” ]