A Cidade Mãe
e a sua Província


Página 18 de 28


A Vila da Catumbela: um Pouco da Sua História

I n t r o d u ç ã o


Antigamente os escritores eram conhecidos pelos seus livros... tudo preto-no-branco – em papel e, se formos mais para trás no tempo, noutros materiais… sabemos que a escrita também evoluiu... Mas certo, certo é que era para quem podia!$!$!! Ainda é.

Com a revolução... – sim!, podemos dar-lhe esse nome! – que foi a introdução da Internet na nossa vida, munidos de computadores... topo de gama ou nem tanto... constata-se que “todos nós, de médico e de louco, temos um pouco” e, direi, de escritor, também! Senão vejamos: procuremos um motor de pesquisa dos mais velozes, introduzamos uma palavra... uma qualquer que faça parte do nosso universo de todos os dias, da nossa vivência de ontem, de hoje, do que sonhamos para amanhã... e, num piscar de olhos, são-nos oferecidos inúmeros “links”. E, a par de páginas que nada nos dizem, lambuzamo-nos com escritos com que nos deliciamos!

Sem dúvida que a Internet chegou para revolucionar os nossos hábitos.
Há o lado negativo que ignoramos, melhor dizendo, desprezamos por completo; somos inteiramente pela informação saudável que nos permite adquirir conhecimento; que nos oferece a oportunidade de conhecer gente bonita e pôr de parte os que não sabem fazer um bom uso desta tão fantástica ferramenta que nos foi posta à disposição.
Cada vez mais fantástica!...

… por isso não resisti ao desafio que me foi feito em 2000 pelo Nhamalanda, e, numa velocidade maior ou menor, umas vezes em viagem solitária, outras a quatro mãos ou mais, apresentam-se trabalhos sobre a nossa Terra Natal, Angola.

A Catumbela está desde há muito no índice de “Benguela, a Cidade Mãe e a sua Província”. Mas há temas que estão por apresentar… A oportunidade para finalmente se falar desta Vila, do seu Reduto, das suas gentes, desde tempos remotos, surgiu com a oferta de colaboração de um natural da Catumbela: uma colecção fantástica de livros, fotografias, a vivência e o conhecimento de quem descende de pioneiros… A seguir, num inesperado regresso ao passado, fui confrontada com um desafio inédito. Einstein disse:
A imaginação é tudo, é uma visão antecipada das atracções da vida que virá. Sendo assim… e embora cronologicamente estejamos nos 60s, temos todavia a mente aberta para aceitarmos os desafios com que nos deparamos nesta época de tecnologias que se metamorfoseiam diariamente!

É o “pontapé” de que necessitava para arrancar com esta parte da história de Angola. É um trabalho que, pela sua extensão, será apresentado conforme os capítulos forem sendo terminados.



Abaixo apresento um mapa antigo, obtido em Steve Bartick - Antique Prints and Maps, e que nos permite ver a Baía de Benguela e o Rio Catumbela. Este mapa está também inserido na página de Carlos Pires, um benguelense.


Baía de Benguela e o Rio Catumbela

[ Página Principal ] [ Menu “Benguela, Cidade Mãe” ]